Café Poético com Martins Fontes (Parte III)

Martins Fontes

   “Martins Fontes e a Caridade” é, segundo o administrador Edson Santana do Carmo, membro da Academia de Letras e Artes de Praia Grande, o título que mais combina com o homenageado da Semana. Para ele, falar sobre o médico e poeta Martins Fontes é evocar o amor, a caridade. 

Edson Santana do Carmo declamando no Café Poético

              Edson que integra as diretorias dos Institutos Históricos e Geográficos de São Vicente e de Santos, além de Curador do Museu Virtual da Cosipa, tem participado anualmente do “Café Poético com Martins Fontes” realizado pela Beneficência Portuguesa com o objetivo de preservar a memória do médico e poeta, que nesse hospital colocou em prática a principal forma de humanização, ajudar aos mais carentes. 

              Em seu depoimento sobre José Martins Fontes (1884-1937) considerado um dos mais importantes poetas de seu tempo que enalteceu sua cidade e o País, de tanto respeito por sua extensa obra, Edson Santana considera o homenageado, seu amigo.

Eng. Saturnino de Brito homenageado por Martins Fontes

Sou Amigo de Martins Fontes na Academia Santista de Letras – “A Casa de Martins Fontes”, já a algum tempo e no ano de 2016, fui convidado pelo amigo e Cineasta Carlos Oliveira, para participar do Projeto Martins Fontes de Mão em Mão. Foi uma experiência maravilhosa. Percorremos alguns locais de nossa Cidade, como o Museu do Café, o Orquidário Municipal, entre outros. O Projeto até me rendeu uma entrevista junto ao Busto de José Martins Fontes, o “Dr. Zezinho”, no jardim da orla de Santos, e foi desta forma que também cheguei no Café Poético da Sociedade Portuguesa de Beneficência de Santos.

A escritora Edith Pires Gonçalves Dias, cujos olhos azuis encantaram o poeta, quando ela tinha 2 anos, chegando para avant-première do filme “Como é Bom Ser Bom” em companhia de Ademir Pestana, presidente da Beneficência Portuguesa

Falar de Martins Fontes é falar de Amor, de Carinho e de Caridade. Foi um Médico que muitas vezes tirava dinheiro do bolso para ajudar pacientes que não tinham condições financeiras. Com certeza na sua época ajudou a curar muitas pessoas. Porém não contente com esta sagrada profissão, ainda foi um Poeta brilhante e nos brindou com poesias que resistem ao tempo e que chegam até os nossos dias, com uma mensagem eterna de Carinho e Bondade.

Entre as poesias que ele nos deixou, separo uma que ele escreveu para Francisco Saturnino Rodrigues de Brito (*1884 +1929) com quem conviveu quando da passagem do Patrono da Engenharia Sanitária no Brasil, durante a construção dos Canais de Drenagem da Cidade de Santos”.

        À Saturnino de Brito

Deve-te a minha terra esta homenagem
Falo-te pelos meus concidadãos
Recebe o aplauso unísono, a mensagem
Que eles te enviam pelas minhas mãos.

Por onde andaste, em meio da ramagem
Através de florestas e desvios
Realizaste um prodígio de coragem
Deste um prêmio de amor aos teus irmãos.

Grande Engenheiro, egrégio Saturnino
De Brito, alto caráter, o bronquel
Que embracaste era bronzeo e diamantino.

Teu tesouro espalhavas à granel
Amaste a Augusto Comte, e ao seu ensino
Rigidamente, foste sempre fiel.

Martins Fontes, 1937

1 comentário em “Café Poético com Martins Fontes (Parte III)”

  1. EDSON SANTANA DO CARMO

    Querida Amiga Noemi Francesca e Grande Amigo Carlos Oliveira, é um prazer poder participar mais um ano das Homenagens ao “Dr. Zezinho” – José Martins Fontes. Sigamos em frente e espero que estejam todos com muita Saúde. EdsonSan.#.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer falar conosco? Mande uma mensagem!
Fale com nossos setores
Fale com os setores através do WhatsApp