Humanização na saúde é especialidade da Beneficência Portuguesa em Santos

O tratamento humanizado vai muito além de ser “simpático”, dando bom dia ou boa noite. Envolve toda a experiência do paciente durante o tratamento, além da equipe empenhada no atendimento. Essa troca mútua proporciona diversos benefícios para o meio e todos os envolvidos no processo. No caso do paciente, favorece memória afetiva, porque ao se sentir acolhido em suas necessidades físicas e emocionais, tenderá a se lembrar para sempre dos momentos vividos. Os benefícios são gerais e incluem, também, aceleração do processo de cura.

Um experimento conduzido por dois psiquiatras, Parker e Covi, em 1965, e publicado na revista Archives of General Psychiatry, testou a eficácia da humanização em um grupo de pacientes depressivos. Durante o estudo, perceberam que com o uso de estímulos vindos de enfermeiros e trabalhadores do hospital, aliados a palavras de gentileza e preocupação, houve melhora no quadro de saúde dos pacientes, alguns até alcançaram a cura.

Desde 2003, a Política Nacional de Humanização foi implantada na rede SUS com o objetivo de promover a qualificação da saúde pública no Brasil, através de práticas de atenção e gestão. Na rede particular, os melhores hospitais orientam seus funcionários para quem tenham uma postura mais empática e implantam ações de integração humana nas etapas do tratamento.

Na Beneficência Portuguesa, em Santos, o processo de humanização foi incorporado em toda a instituição, desde gestores e diretores a corpo clínico e pacientes. O motivo disso, de acordo com a coordenadora de humanização, Paula Ribeiro, é levar palavras de fé e esperança, através da comunicação. “É bom para os pacientes e funcionários e os resultados sempre envolvem alegria, satisfação e melhora”, comentou.

Os funcionários também são impactados pelo tratamento humanizado. O ambiente de trabalho se torna mais agradável e divertido e eles passam a não se sentirem “somente colaboradores”.

A Importância do tratamento humanizado

De acordo com uma pesquisa divulgada pela revista científica inglesa Royal Society Open Science, as pessoas podem influenciar uns aos outros, tanto positivamente, quanto negativamente. Portanto, a partir do momento que profissionais da área da saúde começarem a tratar com bom humor, sorriso e carinho os pacientes, isso impactaria diretamente na melhora.

O grande exemplo disso é o trabalho realizado por ONGs. Na Beneficência Portuguesa, além de todos os profissionais serem instruídos a mostrar interesse pela vida e história e trata-los pelo primeiro nome, há parceria com atrações da região para que os pacientes fiquem sempre alegres. São elas: Tchau Dodói, Pet Terapia, além de bailarina, flautista e café com o presidente Ademir Pestana. O Dia Feliz é outro destaque, já que a equipe envolvida com a humanização leva balões e bolo cenográfico, cantam parabéns e fazem uma grande festa para animar o dia de aniversário dos pacientes em tratamento.

Tenho testemunhado os benefícios provenientes do apoio das diferentes técnicas terapêuticas nos diferentes tratamentos às pessoas internadas na instituição. A cura da doença é o nosso objetivo, se a cura for possível, conquiste-a. Mas se não, alivie, minimize seu sofrimento. O exercício da medicina é, sobretudo, um ato de amor ao próximo”, disse o diretor técnico do hospital, Dr. Mário da Costa Cardoso Filho.

A bailarina e atriz Gabriela Miranda recebeu um convite de Paula para usar a arte para proporcionar emoção através de lindas apresentações. Um convite tão pequeno fez com que ela sentisse um amor imenso pela área da saúde e, por isso, decidiu cursar técnico de enfermagem. “Só o amor constrói e acredito que meu ideal de vida é transmitir amor aos outros. É um sentimento tão único ver pessoas lutando pela vida e você tentando, de certa forma, ajudar e passar força. Na minha primeira apresentação, não consegui controlar tamanha emoção. Até hoje, preciso respirar fundo, porque tenho que mostrar toda minha alegria”, disse.

De acordo com Paula, o propósito é entreter, trazer o acolhimento e amor, para que possam tirar o foco do momento de dor, tratamento e expectativa de recuperação. E, com o apoio da diretoria, os resultados são muito mais significativos.

“O Humaniza-Bene faz com que o paciente se sinta estimado, valorizado e querido pela instituição. Criamos o “Café com o presidente”, um projeto de aproximação, onde visito os leitos para entender o estágio do tratamento e quadro de cada um, mostrando empatia e prestando solidariedade com cada paciente e também colhendo feedback sobre a equipe. No caso do corpo clínico e médico, sempre faço questão de conversar e cumprimentar cada um nos dias de aniversário e sempre que encontro”, reforçou o presidente Pestana.

“Na minha primeira sessão de quimioterapia, fui agraciada pelo grupo ‘Tchau Dodói’. Isso fez com que a tensão preparatória e ansiedade fossem embora. Na segunda, assisti a linda apresentação da bailarina. Esses pequenos detalhes fizeram o procedimento ser menos doloroso e não fiquei pensando sobre hora de ir embora o tempo inteiro”, finalizou Marlene Oliveira sobre o projeto Humaniza-Bene.

Ano de comemoração

Com o lema 160 anos de amor à vida, a Beneficência Portuguesa de Santos comemora no dia 21 de agosto mais um aniversário. “Buscamos ampliar o atendimento médico-hospitalar à população e para isso trabalhamos para a aquisição e instalação de equipamentos de última geração, tecnologia que aliada à capacidade profissional de seu corpo clínico e de outros profissionais, possibilitam novos procedimentos e tratamentos”, enfatizou o presidente da instituição.

Quer falar conosco? Mande uma mensagem!
Fale com nossos setores
Fale com os setores através do WhatsApp