Novembro Azul e a saúde do homem

Ademir Pestana, presidente da Beneficência Portuguesa, vereador santista, autor da lei municipal que prevê ações preventivas de conscientização sobre câncer de próstata na Cidade, antecipa convite a todos para participarem da programação alusiva à campanha (será divulgada nos próximos dias) a ser realizada no hospital.

Novembro Azul, campanha mundialmente conhecida, criada em 2013 na Austrália para conscientizar os homens sobre a importância de se cuidarem, com foco na prevenção ao câncer de próstata. O mês foi escolhido porque no dia 17, comemora-se o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata.

A exemplo do que acontece no Outubro Rosa, mês voltado à conscientização sobre prevenção ao câncer de mama, em  novembro, diversas ações são realizadas para conscientizar a população sobre as principais doenças que acometem a população masculina, com atenção especial ao câncer de próstata, que no Brasil, segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva) é o segundo mais comum entre os homens com mais de 50 anos, atrás apenas do câncer de pele não melanoma.

Na Beneficência Portuguesa onde prevenção faz parte do dia a dia, no mês de novembro não poderia ser diferente razão pela qual a campanha Novembro Azul ganha proporções com o objetivo de mostrar aos homens a importância de cuidar da própria saúde. 

Fatores de risco, sintomas e exames referentes ao câncer de próstata, devem fazer parte do universo masculino, porque não basta associar a cor azul ou deixar o bigode crescer numa alusão ao Novembro Azul. É preciso que o homem tome consciência da importância de uma vida saudável, que passa, obrigatoriamente por check-up médico. Especialmente a partir dos 50 anos, consultas e exames médicos precisam fazer parte da rotina relacionada aos cuidados com a saúde. E se na família tiver registro de parentes com esse tipo de câncer, a consulta com o urologista deve começar aos 45 anos. 

Prevenção – Entre os fatores que ajudam a prevenir o câncer de próstata estão:   

– Ter uma alimentação saudável
– Dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais e com menos gordura;                                 
– Manter o peso corporal adequado à altura;
– Praticar atividade física, pelo menos 30 minutos diários;                                                                                         
 – Não fumar;
– Evitar o consumo de bebida alcoólica;

Fatores de risco – Existem alguns fatores que podem aumentar as chances do homem desenvolver câncer de próstata. São eles:

Idade – segundo especialistas, o risco aumenta com a idade, sendo que no Brasil, a cada dez homens diagnosticados com câncer de próstata, nove têm mais de 55 anos;

Histórico de câncer na família – de acordo com o INCA, homens cujo o pai, avô ou irmão tiveram câncer de próstata antes dos 60 anos, fazem parte do grupo de risco;

Sobrepeso e obesidade: estudos apontam maior risco de câncer de próstata em homens com peso acima do adequado à sua altura;

Sintomas – Na fase inicial, o câncer de próstata pode não apresentar sintomas e, quando apresenta, os mais comuns são:

– Dificuldade de urinar;
– Sangue na urina;
– Diminuição do jato de urina;
– Necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.

Diagnóstico – Como não existe prevenção sem consulta médica, essa não pode ser menosprezada porque é a partir dela que o homem tomará conhecimento do seu real quadro de saúde.

Médicos recomendam que homens a partir de 50 anos, com ou sem sintomas de câncer de próstata, realizem o exame de sangue PSA, que mede a dosagem do antígeno prostático específico, ingrediente do sêmen produzido pela próstata. 

Caso haja alguma alteração no PSA, é indicado o exame de toque retal (fundamental para identificar a presença de um tumor), que mesmo rápido e quase indolor, ainda é alvo de preconceito. Através do toque retal e da dosagem do PSA no sangue pode-se avaliar a próstata. Dependendo das alterações encontradas, recomenda-se ainda, uma biópsia.                                                              

E para homens cujo histórico familiar revela parentes que tiveram ou têm a doença, especialista sugerem que os exames comecem a ser realizados mais cedo, a partir dos 45 anos.

Tratamento – O câncer de próstata tem cura, assim, quanto antes iniciar o tratamento, maiores as chances. Dependendo da fase em que é diagnosticado, o médico poderá indicar radioterapia, cirurgia ou tratamento hormonal, ou seja, o tratamento mais adequado para cada caso.

A Beneficência Portuguesa através do Serviço de Oncologia disponibiliza entre outros tratamentos contra diferentes tipos de cânceres, entre eles o de próstata, Radioterapia e Quimioterapia. Na instituição, a orientação sobre prevenção faz parte do dia a dia. 

 Lei Municipal – Em Santos, ações preventivas com o objetivo de alertar os homens sobre o câncer de próstata entraram no calendário oficial da cidade a partir da Lei Municipal 2.938/2013. O autor da lei, vereador Ademir Pestana é presidente da Sociedade Portuguesa de Beneficência onde estas ações já eram realizadas, especialmente no Serviço de Oncologia onde pessoas diagnosticadas com câncer fazem tratamento.

(Foto: Divulgação/SPB)

Atenção – Toda e qualquer orientação sobre câncer de próstata ou outra doença, não substitui, sob hipótese alguma, a consulta médica. Transforme o Novembro Azul em campanha diária, porque prevenção ainda é o melhor remédio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer falar conosco? Mande uma mensagem!
Fale com nossos setores
Fale com os setores através do WhatsApp