Segurança do paciente

Proteger os pacientes é o mesmo que proteger a quem cuida deles, ou seja, a padronização dos cuidados por parte dos profissionais da saúde para com a pessoa internada é um benefício para todos, como preconiza através de normas e guias para atendimento hospitalar, o Programa Nacional de Segurança do Paciente do Ministério da Saúde, com base no instado pela Organização Mundial da saúde (OMS). Por esta razão, o Núcleo de Segurança do Paciente (NSP) do Hospital Beneficência Portuguesa (HBP) realizou uma tarde de palestras sobre o tema.

O evento com a apresentação de profissionais de outros hospitais e do próprio HBP, encerrou o calendário de atividades voltadas para atualização dos colaboradores, do setembro, e teve a abertura a cargo do presidente da Instituição, Ademir Pestana, que ressaltou a importância da programação contínua de atualização dos funcionários, em especial aos que trabalham direto com os pacientes.

As palestras foram realizadas pelas profissionais: Néria Lúcia dos Santos, Gerente da Qualidade do HBP; Maria Antonieta Velasco Martinho, coordenadora do NSP do Hospital Guilherme Álvaro; Suzana Gomes da Silva Araújo, Gerente do Centro Cirúrgico do HBP e por Cristiane Orlandini, Assessora Técnica da Distribuidora Sinete.

Manual – Néria Lúcia dos Santos, responsável pela coordenação do evento fez uma apresentação do NSP do Hospital Beneficência Portuguesa e sobre a importância dos protocolos básicos de segurança do paciente que visam prevenir incidentes que podem resultar em danos à essa pessoa, ocasionando aumento do tempo de permanência no hospital. Esses protocolos ou medidas devem ser observadas e seguidas no dia a dia na hospitalização.

Metas Internacionais – Os protocolos de segurança do paciente com base na orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) fixam seis metas internacionais visando a uniformização nos cuidados para a promoção de melhorias nesse aspecto (segurança do paciente), para que, por meio de estratégias, a assistência à saúde tenha maior alcance, explicou a coordenadora do NSP do Hospital Guilherme Álvaro, Maria Antonieta Velasco Martinho ao falar sobre a implantação do Manual nesse hospital.

Cirurgia Segura – Entre os vários setores de uma unidade hospitalar onde o Manual de Segurança do Paciente assume extrema importância, o Centro Cirúrgico, foi a abordagem da enfermeira Suzana Gomes da Silva Araújo, Gerente do Centro Cirúrgico do HBP. A profissional alertou sobre necessidade de toda equipe do centro cirúrgico estar alinhada com relação à responsabilidade e às normas de segurança, com checagens de equipamentos e medicamentos antes e depois da intervenção, preparo do local e principalmente identificação do paciente e membro ou órgão que será submetido à cirurgia. Enfática, numa frase, Suzana sintetizou a responsabilidade que envolve todo o sistema hospitalar no cumprimento dos protocolos de segurança do paciente: “Tenham em mente que estamos sempre cuidando do amor de alguém”.

Lesão por pressão – Encerrando o ciclo de palestras do dia, Cristiane Orlandini, Assessora Técnica da Distribuidora Sinete (produtos hospitalares) discorreu sobre “Lesão por pressão” ou escaras, também conhecidas por úlceras de pressão que surgem da pressão contínua em algumas partes do corpo, situação mais frequente em pessoas acamadas por longo tempo. Cristiane ressaltou que entre as consequências das escaras, a infecção é extremamente preocupante, mas podem ser evitadas com algumas medidas, a começar pela mudança da posição do corpo a cada duas horas, e sobre o uso de cremes adequados recomendados pelo médico.

As metas internacionais – Identificar o paciente corretamente – Melhorar a eficácia da comunicação – Melhorar a segurança dos medicamentos de alta vigilância – Assegurar cirurgias com local de intervenção correto, procedimento correto e paciente correto – Reduzir o risco de infecções associadas a cuidados de saúde – Reduzir o risco de danos ao paciente, decorrente de quedas

Protocolos sobre os seguintes temas: – Prática de higiene das mãos em estabelecimentos de Saúde; – Cirurgia segura; – Segurança na prescrição, uso e administração de medicamentos; – Identificação de pacientes; – Comunicação no ambiente dos estabelecimentos de Saúde; – Prevenção de quedas; – Úlceras por pressão; – Transferência de pacientes entre pontos de cuidado; – Uso seguro de equipamentos e materiais.

Cordenadora do evento, Néria Lúcia e presidente Ademir Pestana.

Ademir Pestana, presidente do HBP.

Néria Lúcia dos Santos.

Maria Antonieta Velasco Martinho.

Suzana Gomes da Silva Araújo. 

Cristiane Orlandini.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *