Na galeria, a beleza de todos os dias

A surpresa de se reconhecerem tão bonitas na foto, faz os olhos lagrimejarem e a emoção comandar o tremor dos lábios que em seguida se entreabrem em um sorriso de felicidade. Esse foi o conjunto de reações das mulheres que fizeram do Outubro Rosa na Beneficência Portuguesa, uma bandeira de luta contra o câncer de mama, ao descerrarem o painel de fotos na Galeria da Superação instalada no Serviço de Quimioterapia do Hospital Beneficência Portuguesa.

Adriana Delanieze Patrício, Márcia Aparecida Lopes Oliveira, Michele Mendes, Renata Araújo de Souza, Rivaneide do Nascimento Neves, Susi Maria Pereira Rodrigues, Tânia Jupira dos Santos Pinto e Valmônia do Socorro Souza e Silva, mulheres em tratamento contra o câncer de mama que participaram do III Desfile da Superação promovido pela Beneficência Portuguesa, em outubro passado, com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância da prevenção contra esse tipo de câncer, estão no painel mencionado.

Através das lentes da jornalista e fotógrafa Cris Carvalho, as modelos deram exemplo de determinação e muita coragem na batalha contra o câncer, e se revelaram donas de uma beleza que nem elas acreditavam ter. Sabiam que eram bonitas, mas não tanto quanto o são e como foram evidenciadas pela sensibilidade da fotógrafa.

O Painel foi inaugurado pelo presidente da Beneficência, Ademir Pestana, juntamente com elas (as oito mulheres) que emprestam seu sorriso à uma grande causa, a conscientização sobre a prevenção ao câncer de mama e o incentivo à inúmeras mulheres que vivem a realidade do câncer a não desistirem da luta. O painel pode ser apreciado na Galeria da Superação instalada no Serviço de Quimioterapia, que, em uma, mesmo que tosca analogia estabelecida entre a última estrofe da canção “As Vitrines”, de Chico Buarque (composição de 1981) e a vivência atual dessas mulheres, mostra uma realidade intemporal “Na galeria, cada clarão (luz/ É como um dia depois de outro dia/ Abrindo um salão/ Passas em exposição/ Passas sem ver teu vigia/ Catando a poesia/ Que entornas no chão”

(na estrofe acima, o sujeito da composição, na frase, mostra o incômodo do que parece não ter um final, como se nada ou ninguém lhe desse atenção, mas na Galeria da Superação as protagonistas não se contentam em observar o tempo passar. Elas reagem e vão à luta não se contentando com migalhas que a poesia possa dourar).

Fica o convite: conheçam a Galeria da Superação instalada na Beneficência Portuguesa e mirem-se na coragem dessas mulheres – confiram as fotos. (Noemi Macedo)

Adriana Denalieze

Márcia Lopes
Michele Mendes

Renata Araújo
Rivaneide Neves
Susi Rodrigues
Tânia Jupira
Valmônia Silva

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Quer falar conosco? Mande uma mensagem!
Fale com nossos setores
Fale com os setores através do WhatsApp